Difusão CientíficaMemória CEM

MEMÓRIA CEM



Esta seção apresenta os projetos já concluídos, como a revista eletrônica DiverCidade, que foi uma publicação trimestral que trouxe um conjunto de reportagens realizadas a partir do trabalho do CEM.

É disponibilizada também a série Dossiê Periferia foi ao ar pela TV Cultura em 2005 e apresentando aspectos sociais, econômicos e culturais da Grande São Paulo, de acordo com as pesquisas realizadas pelo Centro de Estudos da Metrópole e a Fundação Seade.

DiverCidade
A revista eletrônica DiverCidade foi uma publicação trimestral que, a cada edição, apresentava um conjunto de matérias realizadas a partir do trabalho do CEM, nas áreas de Pesquisa, Transferência e Difusão. Tratou-se de uma iniciativa que contribui para disseminar o conhecimento produzido no CEM, em linguagem acessível. DiverCidade procurou ser um canal de diálogo entre os usuários do site, a comunidade científica, a imprensa, os órgãos responsáveis pela elaboração de políticas públicas, as escolas e outros segmentos sociais que possam se valer de seu conteúdo. Complementa, assim, os objetivos da área de Difusão, somando-se aos documentários produzidos pelo CEM e à série de reportagens veiculadas na TV Cultura. O projeto de DiverCidade começou em janeiro de 2002, na pesquisa Concepção e desenvolvimento de uma revista eletrônica para o Centro de Estudos da Metrópole. Realizada com apoio da Fapesp – através de bolsa de pós-doutorado do Programa José Reis de Jornalismo Científico para Rosana Soares – a publicação, aos poucos, atingiu seu formato definitivo. DiverCidade contou com vídeos, reportagens, artigos, resenhas e uma série de outros recursos permitidos pelo espaço da Internet.
Dossiê Periferia

Cultura.jpg A série Dossiê Periferia foi ao ar pela TV Cultura em 2005. Produzida por meio de parceria entre a emissora, o CEM e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), as matérias em vídeo apresentam aspectos sociais, econômicos e culturais da Grande São Paulo, de acordo com as pesquisas realizadas pelo Centro de Estudos da Metrópole e a Fundação Seade.

Clique nos links abaixo para assistir às matérias. Os vídeos estão no formato.wmv e são melhor visualizados no software Windows Media Player. Se precisar, faça o download do software.

  • Equipe TV Cultura: Mônica Teixeira e Leandro Fernandez
  • Equipe CEM: Tatiana Lotierzo

VÍDEOS:

Periferia, para além do espaço

A periferiaA matéria de abertura da série Dossiê Periferia busca uma definição para a palavra: periferia é o que está afastado do Centro? É o lugar da pobreza? A pobreza está só na periferia? A reportagem acompanhou o sociólogo Eduardo Marques até a Vila Areião, no ABC, e mostra as conclusões a que chegaram os pesquisadores do CEM a partir de um conjunto de estudos: quem tem a mesma renda vive melhor ou pior de acordo com o lugar onde vive.

Assista ao vídeo da matéria: Periferia, para além do espaço.


Pobreza, um fenômeno heterogêneo

Pobreza, um fenômeno heterogêneoA pobreza não é homogênea e assume diferentes formas de acordo com uma série de fatores. Desta vez, a reportagem da TV Cultura acompanhou o pesquisador Tiaraju D'Andrea até os bairros de Paraisópolis e Vila Nova Esperança, revelando as diferenças entre os tipos de pobreza nas duas regiões. Na favela de Paraisópolis, vive-se melhor. A maioria dos moradores tem emprego, justamente por essa região estar próxima de áreas mais ricas da metrópole. Há infra-estrutura urbana e ação de ONGs. Na Vila Nova Esperança, mais isolada geograficamente das áreas mais ricas, muitos desistem de trabalhar por conta da distância. Falta luz, água e atenção do setor público e do terceiro setor.

Assista ao vídeo da matéria: Pobreza, um fenômeno heterogêneo.


Pesquisa, transferência, difusão

Pesquisa, transferência, difusão

Após acompanhar pesquisadores do CEM por alguns locais da periferia de São Paulo, a terceira matéria da série mostra como é a rotina de trabalho dos pesquisadores. Entre trabalhos de campo, seminários, publicação de livros, desenvolvimento de bases de dados e outras atividades, os cerca de 30 pesquisadores se desdobram para entender como funciona a vida na metrópole.

Assista ao vídeo da matéria: Pesquisa, transferência, difusão.


Os novos contornos do desemprego

As novas formas de desemprego

O desemprego faz parte da vida dos brasileiros. Se nos anos 80, em São Paulo, as taxas de desemprego oscilavam em torno dos 10%, entre períodos de crise e recuperação da economia, nos anos 90 a taxa de desemprego chegou a 20% e se estagnou. Para a pesquisadora Nadya Araújo Guimarães, houve uma mudança de face no mercado de trabalho. Há maior trânsito entre ocupações, mais informalidade e alguns grupos mais vulneráveis ao desemprego – os mais jovens e os mais velhos.

Assista ao vídeo da matéria: Os novos contornos do desemprego.


A fé em movimento

Fe em movimentação

Não só o mercado de trabalho é lugar de trânsito intenso. Também a religião se revela cada vez menos institucionalizada e mais individualizada, em particular nas regiões mais pobres. A reportagem acompanha o antropólogo Ronaldo de Almeida até Chácara Bananal, na divisa entre São Paulo e Embu, que comenta o processo de transformação no campo religioso ocorrido nos últimos 30 anos, e revela a grande circulação de fiéis entre igrejas e uma mudança na maneira de acreditar em Deus.

Assista ao vídeo da matéria: A fé em movimento.

Apoio
cepid
usp
fapesp
cebrap